Evidências de Deus , uma fé racional

este forum tem o propósito de organizar e juntar evidências científicas, filosóficas e racionais pela existência do Deus da biblia


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

É o design inteligente apenas um "argumento da ignorância?"

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

É o design inteligente e complexidade irredutível meramente um "argumento da ignorância?

http://elohim.heavenforum.org/t134-e-o-design-inteligente-apenas-um-argumento-da-ignorancia#299

Premissa Um: Apesar de uma busca minuciosa, não há causas materiais  descobertas que demonstram o poder de produzir grandes quantidades de informação especificada, sistemas biológicos irredutíveis e interdependentes.
Premissa Dois: Causas inteligentes demonstraram o poder de produzir grandes quantidades de informação especificada, sistemas irredutíveis e interdependentes de todos os tipos.
Conclusão: O design inteligente constitui a melhor, mais adequada explicação em relação a causas e origens, e explicação para a origem da informação e complexidade irredutível na célula, e interdependência de proteínas, organelas, e partes do corpo, e até mesmo de animais e plantas, tipo interdependência de  mariposas e flores, por exemplo.

Ou, dito de maneira mais formal, o caso para o projeto inteligente feito aqui tem a forma:

Premissa Um: A causa  X não produz  E. Premissa Dois: Causa Y pode e deve produzir E.
Conclusão: Y explica E melhor do que  X.

1. Alto conteúdo de informação (ou complexidade especificada) e complexidade irredutível constituem indicadores fortes ou imagem de  design inteligente no passado.
2. Sistemas biológicos têm um alto teor de informação (ou complexidade especificada) e utilizam subsistemas que  manifestam complexidade irredutível.
3. Mecanismos naturais ou causas sem direção não são suficientes para explicar a origem da informação (complexidade especificada) ou complexidade irredutível.
4. Por isso, o design inteligente constitui a melhor explicação para a origem da informação e complexidade irredutível em sistemas biológicos.



Na revolução de design, Dembski escreve na página 220:
Então, veja que o argumento da ignorância  não é uma varinha mágica para silenciar o design inteligente; vamos começar com a verificação da realidade. Quando se alega que design é um argumento de ignorância, quem exatamente está sendo acusado de ser ignorante? Soa natural pensar que a ignorância aqui está na parte de teóricos do design, que querem atribuir agência inteligente aos sistemas biológicos. Se apenas os pobres teóricos do design  compreendessem a biologia melhor, esses sistemas prontamente submeteriam-se  a explicação naturalista. Mas é fato que, apesar de décadas de pesquisas, a comunidade científica tem tentado desesperadamente a descobrir como tais sistemas poderiam ter sido formados, sem sucesso de descobrir , o que teriam sido exatamente os mecanismos responsáveis. Quem é ignorante aqui? A comunidade científica  como um todo. Na verdade, é seguro dizer que os biólogos são ignorantes sobre o mecanismo do surgimento da complexidade e diversidade biológica. Como assim? Porque os mecanismos materiais aos quais a comunidade científica olha não fornecem nenhuma pista de como esses sistemas poderiam realisticamente ter surgidos. O problema, portanto, não é ignorância ou incredulidade pessoal, mas falha disciplinar global, e inadequação teórica bruta da teoria de Darwin. James Shapiro, biólogo molecular na Universidade de Chicago, admitiu que sistemas que exibem complexidade especificada são susceptíveis de ser resultado de design. Teóricos de design,  imputando design para sistemas que apresentam  complexidade especificada (SC), estão simplesmente fazendo o que cientistas em geral fazem, que é a tentativa de formular uma explicação causal adequada para o fenômeno em questão. Para atribuir complexidade especificada, e, assim, design, para um sistema biológico é se engajar em uma indução eliminativa, uma forma de raciocínio, usado em toda as ciências. Induções eliminativas defendem a verdade de uma proposição, argumentando que os concorrentes para essa proposição são falsos ou inadequados. (Compare isso com falsificação popperiana, onde proposições são corroborados com o grau que possam suportar com sucesso as tentativas de falsificá-las). Oferecido a proposição, juntamente com os seus concorrentes, formam uma classe mutuamente exclusiva e exaustiva, eliminando todos os concorrentes implica que a proposição é verdadeira . Como o ditado famoso de Sherlock Holmes  diz: quando você tiver eliminado o impossível, aquilo que permanece, no entanto improvável, deve ser a verdade. Este é o caso ideal, em que  induções eliminativas  de fato se tornam deduções. 


Não. Alguns críticos não entenderam o design inteligente e afirmaram que ele apenas afirma que, porque não podermos entender como algumas estruturas biológicas poderiam ter surgido, elas foram provavelmente projetadas. O  DI não argumenta assim. Na realidade,  observa-se que a teoria do DI é uma explicação causal suficiente para a origem de informação complexa e especificada, e sistemas moleculares irredutivelmente complexos e interdependentes, e, portanto, argumenta a partir de previsões positivas de design. A falta de explicações detalhadas passo-a-passo evolutivo para a origem da complexidade irredutível é o resultado do fato de que sistemas biológicos irredutivelmente complexo não podem evoluir por definição. Uma afirmação exclui outra. Ou seja, ou um sistema é irredutivelmente complexo, ou as partes básicas que garantem a função  podem surgir por meios evolutivos.  

Deturpando a Definição de Design Inteligente
Behe no julgamento de Dover: ( Testemunho, p 110)
"Este argumento para o projeto é um argumento totalmente positivo. Isto é como nós reconhecemos design do arranjo intencional das partes".

Behe também deixou isso claro na tarde de Caixa Preta de Darwin:
Sistemas irredutivelmente complexos como ratoeiras e flagelos servem ambos como argumentos  contra explicações gradualistas darwinistas, e são ao mesmo tempo um argumento positivo para o design. O argumento negativo é que tais sistemas interativos resistem a explicações pelos quais pequenos passos evolutivos seriam possiveis. O argumento positivo é que suas peças parecem que foram projetados a servir a um propósito, que é exatamente o que se espera de design.

Scott Minnich e Stephen Meyer também explicam o argumento positivo para o design:
Máquinas moleculares exibem a assinatura  de projeto, ou seja, são irredutívelmente complexas, e contém grande quantidade de informação complexa, specificada, e codificada. Em todos os sistemas de complexidade irredutível em que a causa do sistema é conhecido por experiência ou observação, design inteligente ou engenharia desempenham um papel na origem do sistema  ... em qualquer outro contexto, seriam tais sistemas seriam imediatamente reconhecidos , como o produto de  engenharia muito inteligente. Embora alguns possam argumentar que isso é  apenas um argumento de ignorância, nós consideramos isto como uma inferência para a melhor explicação, dado o que sabemos sobre os poderes de inteligencia em contrasto a  causas materiais estritamente naturais . 

Esta complexidade especificada, também chamada de informação complexa e especificada (ICE), é um indicador claro de ação inteligente. Meyer explica por que faz um argumento positivo - não negativo -  para design : Invocando projeto para explicar a origem de novas informações biológicas, os teóricos de design contemporâneo não estão postulando um elemento explicativo arbitrário desmotivado por uma consideração das provas. Em vez disso, eles estão postulando uma entidade que possui exatamente os atributos e poderes causais que o fenômeno em questão exige, como condição de sua produção e explicação. 

Em um contexto explicativo, os argumentos da ignorância têm a forma:

Premissa Um: Porque X não pode produzir provas ou explicar E. Conclusão: Portanto, causa Y produziu ou explica E.

Os críticos do projeto inteligente alegam que o argumento para o design inteligente assume esta forma também.  Michael Shermer, gosta de alegar que, "design inteligente argumenta que a vida é demasiada complexa especificamente (estruturas complexas como o DNA) para ter evoluída por forças naturais. Portanto, a vida deve ter sida criada por um designer inteligente.  "Em suma, os críticos afirmam que os proponentes do DI argumentam como se segue:

Premissa Um: causas materiais não podem produzir ou explicar as informações especificadas.
Conclusão: Portanto, uma causa inteligente produziu  informação especificada biológica.

Se os defensores do design inteligente estivessem discutindo na forma anterior, eles seriam culpados de argumentar por ignorância. Mas o argumento tem a seguinte forma:

Premissa Um: Apesar de uma busca minuciosa, não há causas materiais  descobertas que demonstram o poder de produzir grandes quantidades de informação especificada, sistemas biológicos irredutíveis e interdependentes.
Premissa Dois: Causas inteligentes demonstraram o poder de produzir grandes quantidades de informação especificada, sistemas irredutíveis e interdependentes de todos os tipos.
Conclusão: O design inteligente constitui a melhor, mais adequada explicação em relação a causas e origens, e explicação para a origem da informação e complexidade irredutível na célula, e interdependência de proteínas, organelas, e partes do corpo, e até mesmo de animais e plantas, tipo interdependência de  mariposas e flores, por exemplo.

Ou, dito de maneira mais formal, o caso para o projeto inteligente feito aqui tem a forma:

Premissa Um: A causa  X não produz  E. Premissa Dois: Causa Y pode e deve produzir E.
Conclusão: Y explica E melhor do que  X.

1. Alto conteúdo de informação (ou complexidade especificada) e complexidade irredutível constituem indicadores fortes ou imagem de  design inteligente no passado.
2. Sistemas biológicos têm um alto teor de informação (ou complexidade especificada) e utilizam subsistemas que  manifestam complexidade irredutível.
3. Mecanismos naturais ou causas sem direção não são suficientes para explicar a origem da informação (complexidade especificada) ou complexidade irredutível.
4. Por isso, o design inteligente constitui a melhor explicação para a origem da informação e complexidade irredutível em sistemas biológicos.

Ver perfil do usuário

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum