Evidências de Deus , uma fé racional

este forum tem o propósito de organizar e juntar evidências científicas, filosóficas e racionais pela existência do Deus da biblia


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

O papel do Cristianismo na civilização mundial, e como moldou o mundo moderno.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

O papel do Cristianismo na civilização mundial, e como moldou o mundo moderno.

http://www.faithfacts.org/christ-and-the-culture/The-Impact-of-Christianity

Direitos Humanos.
O conceito de direitos humanos universais e da igualdade provém exclusivamente da idéia bíblica de que todos os homens são criados à imagem de Deus.
Mulheres. Em culturas antigas, a mulher era propriedade do marido. Aristóteles disse que a mulher estava em algum lugar entre um homem livre e um escravo. Era extremamente comum no mundo greco-romano para expulsar novos bebês do sexo feminino a morrer de exposição, devido ao baixo status da mulher na sociedade. A igreja proibia seus membros para fazê-lo. A sociedade greco-romana não via valor em uma mulher solteira e, portanto, era ilegal para uma viúva ficar mais de dois anos sem se casar novamente. Mas o cristianismo era a primeira religião para não forçar as viúvas a se casar. Elas foram apoiadas financeiramente e honradas no seio da comunidade para que não estivessem sob grande pressão para se casar novamente, se não quisessem. Viúvas Pagãs perderam todo o controle dos bens do seu marido quando se casaram, mas a igreja permitiu viúvas de manter a propriedade do marido. Finalmente, Os cristãos não acreditavam em um homem e uma mulher morarem juntos sem se casarem. Se um homem cristão queria viver com uma mulher ele tinha que casar com ela, e isso deu às mulheres uma segurança muito maior. Além disso, o padrão pagã duplo de permitir que homens casados pudessem têr relações sexuais extraconjugais e amantes, era proibido. Mediante estes modos, as mulheres cristãs tinham muito mais segurança e igualdade do que as mulheres na cultura ao redor. Na Índia, as viúvas eram voluntárias ou involuntariamente queimados em piras de seus maridos no funeral. Os missionários cristãos foram uma grande influência em parar estas práticas centenárias e idéias.

Crianças. No mundo antigo, por exemplo, na Roma clássica ou na Grécia, o infanticídio não era só legal, era aplaudido. Matar um romano era assassinato, mas era comum em Roma matar os próprios filhos e era considerado um ato de beleza. Através de uma perspectiva maior da vida, foi a igreja cristã primitiva que finalmente pôs fim ao infanticídio. O movimento pró-vida moderna é em grande parte cristã. Este ponto de vista pró-vida tem sido a verdade desde o início do cristianismo.Um documento cristão chamado Didaqué, datado do século I ou início do século II, continha instruções contra o aborto.
Missionários do século IX, que trouxeram o cristianismo para a Europa Oriental desenvolveram o primeiro sistema de escrita para línguas locais que existe hoje. Séculos antes, um missionário inventou o alfabeto para a Arménia. Dídimo do Egito o Cego criou um predecessor do sistema Braille para que as pessoas cegos pudessem ler.Todos reconhecem que a tradução de Martinho Lutero da Bíblia praticamente criou o alemão moderno , e o impacto literário de traduções da Bíblia em Inglês não pode ser exagerada. A razão para essa evolução, é claro, é que o cristianismo é uma religião da Bíblia, da palavra escrita. Então, ao longo da história os cristãos têm ido longe para proteger livros e a educação.

Durante a chamada Idade das Trevas, os mosteiros eram os únicos centros de aprendizagem em grande parte da Europa. Já em 797 dC, o império cristão ordenou a estabelecer escolas em cada cidade para que as crianças pudessem estudar de graça, com os pais, doando o que podiam. Catedrais de escolas para formar o clero, ordenada pelo papa em 1079, acabaram para se tornar as primeiras universidades em lugares como Paris e Oxford, na Inglaterra.
Alfabetização e da disponibilidade de livros explodiram com a invenção do século 15 da imprensa. A primeira sociedade da história onde todos pudessem ler foi criado no século 17 pelos missionários jesuítas que educaram os povos indígenas na atual Argentina, Bolívia e Brasil. Na mesma época, os protestantes na Suíça, estabeleceram "o primeiro sistema de ensino livres e integrados nos tempos modernos."Não se deve esquecer que os benefícios trazidos pelos governos democráticos modernos que não poderiam existir sem ampla educação e alfabetização, e que os cristãos também foram pioneiros na elaboração das teorias políticas democráticas e sistemas políticos.Além disso, as crenças cristãs fizeram a ciência empírica moderna se tornar possível.Quais crenças? O cristianismo ensinou que "a mente existe para estudo e o mundo físico existe para ser estudado", porque o Deus bíblico criou um universo coerente. "A idéia da racionalidade intrínseca do mundo foi construída mediante o cristianismo desde o início.""Cristianismo e a investigação do mundo andaram de mãos em mãos, pois tudo foi criado por Deus e imbuído de sua ordem e harmonia."

Tudo isto nem sequer considera a inúmeras obras de arte, arquitetura, música e literatura que têm sido diretamente inspiradas pela mensagem cristã.
Escravidão. Embora seja verdade que os cristãos possuíam escravos na história, não pode se dizer que isto tenha sido mediante suporte explicitamente biblico. O Cristianismo primitivo elevava os papéis dos oprimidos na sociedade, por exemplo, mediante a aceitação as mulheres e os escravos como membros plenos. Os escravos também participaram do culto e da comunidade e foram concedidos direitos de contrato e da propriedade. Segundo o historiador Glenn Sunshine, em seu livro Por que você pensa da forma que o faz " (Why You Think the Way You do ) , os cristãos foram os primeiros na história a se opor a escravidão de forma sistemática. Os primeiros Cristãos compravam escravos nos mercados simplesmente para libertá-los." Também é verdade que a escravidão foi encerrada em grande medida por ativistas cristãos. Por exemplo, historiadores dão crédito ao evangélico britânico William Wilberforce como a principal força por trás do fim do tráfico negreiro internacional (o que aconteceu antes da Guerra Civil Americana). Dois terços dos membros da sociedade americana a abolição, em 1835 foram pastores e ministros cristãos.
Gladiadores. Um monge do século 5, Telêmaco é creditado como sendo a força central que terminou os espetáculos de gladiadores.

O canibalismo.
Seguidores Missionários de Jesus são creditados com a parada de canibalismo em muitas sociedades primitivas.

Compaixão e Misericórdia
Kennedy e Newcombe em seu livro detalham a ascensão de caridade em nome de Jesus ao longo dos séculos. Isto está em contraste gritante com a história antes de Jesus. Historiadores reportam que antes de Jesus, o mundo antigo deixou poucos vestígios de qualquer esforço de caridade organizada.
Um aspecto importante do ministério de Jesus foi a sua ênfase em ajudar os mais necessitados e os mais humildes da sociedade. A parábola do Bom Samaritano (Lucas 10:30-37) é um exemplo clássico que Jesus deixou. Embora existam boas campanhas de caridade fora do nome de Jesus, Kennedy e Newcombe afirmam que instituições de caridade cristã se destacam. Eles apontam para a Madre Teresa, o Exército da Salvação, hospitais religiosos e igreja apoiou cozinhas e brechós em cada comunidade. Jesus teve um enorme impacto sobre a caridade que se quer saber como as coisas seriam diferentes se ele nunca tivesse nascido.

D'Souza aponta. "Esta é a ênfase poderosa da nossa cultura sobre a compaixão, de ajudar os necessitados, e em aliviar o sofrimento, mesmo em lugares distantes. Se houver uma fome enorme ou relatos de genocídios na África, a maioria das pessoas de outras culturas não estão preocupadas . Como diz o provérbio chinês que "as lágrimas de estranhos são apenas água." Mas aqui no Ocidente, temos pressa para ajudar .... Parte da razão pela qual fazemos isso é por causa de nossas premissas cristãs .... Os antigos gregos e romanos não acreditavam nisso. Eles tinham uma visão muito comumente tida em outras culturas de hoje: sim, isso é um problema, mas não é o nosso problema .... Por mais paradoxal que pareça, pessoas que acreditavam mais fortemente no mundo do além fizeram o máximo para melhorar a situação das pessoas que vivem em um presente ".

Casamento e Família
Como explicado por D'Souza, antes da era Chistã pederastia (o relacionamento erótico entre um homem e um menino.) e homossexualidade não foram consideradas erradas: "O cristianismo exaltou o amor monogâmico e heterossexual, que serviria de base para uma relação duradoura e exclusiva entre marido e mulher, orientada para a educação dos filhos. Consideramos a família tanto como normal, ela permanece como um poderoso ideal na nossa sociedade, mesmo quando a vida da família na realidade muitas vezes não dá certa, que nos esquecemos das premissas centrais nas quais se baseia. Essas premissas foram introduzidas pelo cristianismo numa sociedade em que eles eram completamente estranhos. "

Educação
Desde o início do judaísmo, do qual o cristianismo é derivado, houve uma ênfase na palavra escrita. Mas o fenômeno da educação para as massas tem suas raízes na Reforma Protestante.

A fim de promover a literacia da Bíblia, os cristãos têm sido líderes em educação. Esta tendência foi acelerada com o advento da imprensa mais ou menos no mesmo tempo da Reforma Protestante. Muitas das línguas do mundo foram definidas a primeira vez por escrito por missionários cristãos para que as pessoas lêssem a Bíblia.
Na América, a primeira lei a exigir a educação das massas foi aprovada pelos puritanos. A lei foi chamado de "THE OLD DELUDER SATAN ACT." Este nome foi uma referência para o diabo, que os cristãos acreditam que recebe o seu ponto de apoio na vida das pessoas por causa de sua ignorância das Escrituras.
Para os primeiros 200 anos na América, textos de leitura infantil enfatizaram o conhecimento bíblico. A ênfase na alfabetização foi tão intensa na América colonial, que John Quincy Adams disse no início de 1800 que a taxa de analfabetismo foi de apenas 4/10th de 1 por cento. Em comparação, estima-se que na América de hoje, 40 milhões de pessoas são analfabetas funcionais.

Todos com exceção de uma das primeiras 123 escolas na América colonial eram instituições cristãs. Embora essas universidades perderam suas identidades cristãs, é interessante ler as declarações de fundação dessas escolas. Harvard, por exemplo, foi fundada sobre esta afirmação: Que cada aluno esteja devidamente instruído, e seriamente pressionados a considerar bem, o fim principal da sua vida e trabalhos é, para conhecer a Deus e a Jesus Cristo, que é a vida eterna, João 17:3
Ciência

A ciência tem suas raízes no cristianismo. Outras religiões do mundo podem expressar uma visão de fatalismo (tudo é fatalmente determinado) ou da ilusão (que o mundo físico é uma ilusão). A ciência não poderia ter surgido a partir dessas visões do mundo.
O cristianismo, por outro lado, baseia-se na noção de que existe um Deus racional que é a fonte da verdade racional. Isso deu origem à possibilidade de leis científicas.

http://www.leaderu.com/orgs/probe/docs/threat.html

Talvez a área em que o cristianismo tem sido o mais veementemente atacado neste século tem sido a área da ciência. A religião e a ciência são consideradas por muitos ser como óleo e água, os dois simplesmente não se misturam. A religião oferece a superstição, enquanto a ciência oferece fatos. Parece, no entanto, que aqueles que fazem tal acusação não deram muita atenção à história da ciência. Em seu livro, A Alma da Ciência, The Soul of Science os autores Nancy Pearcey e Charles Thaxton demonstram o papel essencial que o cristianismo desempenhou no desenvolvimento da ciência. Os autores apontam quatro formas gerais de como o cristianismo tem influenciado positivamente o seu desenvolvimento.

Primeiro, o cristianismo providenciou pressupostos importantes da ciência. A Bíblia ensina que a natureza é real, não uma ilusão. Ela ensina que tem valor e que é bom trabalhar com a natureza. Historicamente, este foi um avanço sobre as superstições pagãs, pois este último viu a natureza como algo a ser adorado ou como algo cheio de espíritos que não eram para ser irritados. Como um teólogo escreveu, "A natureza foi, assim, abruptamente dessacralizada, despojada de muitos de seus aspectos terríveis e imprevisíveis

Além disso, porque a natureza foi criada por Deus de forma ordenada, ela tem leis, e pode ser entendida. Ou seja, ela segue padrões discerníveis que podemos ser confiantes que não vão mudar. "Como a criação de um Deus confiável, a natureza apresentou regularidade, confiabilidade. Foi inteligível e pode ser estudada. É exibida uma ordem inteligível."

Em segundo lugar, o cristianismo sancionou a ciência. Ciência ", foi justificada como uma forma de atenuar o sofrimento." Com culturas animistas e panteístas, Deus e a natureza eram tão intimamente relacionados de forma que o homem, sendo uma parte da natureza, era incapaz de transcendê-la, isto é, de ganhar qualquer controle real sobre ela. Uma visão do mundo cristão, no entanto, deu ao homem a liberdade de sujeitar a natureza às suas necessidades, com limitações, é claro, porque o homem se relaciona principalmente com Deus, que está acima da natureza. A Ciência- da tecnologia aplicada foi desenvolvida para atender às necessidades humanas, como expressão da nossa responsabilidade diante de Deus, e de um para com o outro. Como um historiador colocou, "o conceito cristão de obrigação moral desempenhou um papel importante para atrair as pessoas para o estudo da natureza."

Em terceiro lugar, o cristianismo deu os motivos para buscar o conhecimento científico. Como os cientistas aprenderam mais sobre as maravilhas do universo, eles viram a glória de Deus que está sendo exibida.

Em quarto lugar, o cristianismo "desempenhou um papel na regulação da metodologia científica." Anteriormente, o mundo foi pensado em funcionar de forma perfeitamente racional que poderia ser conhecido principalmente por meio de dedução lógica. Mas essa abordagem da ciência não funcionou. Planetas não tem uma órbita em padrões circulares como algumas pessoas concluíram usando a lógica dedutiva, claro, se descobriu pela investigação que não fizeram. Uma nova maneira de entender a criação de Deus era colocar a tónica na vontade de Deus. A vontade de Deus não poderia simplesmente ser deduzida através do raciocínio lógico, portanto a experimentação e investigação foram necessários. Isso proporcionou um embasamento teológico particular para a ciência empírica.
O fato é que foram claramente as crenças cristãs, que forneceram as bases intelectuais e morais para o estudo da natureza e para a sua aplicação através da tecnologia. Assim, embora o cristianismo e alguns cientistas ou teorias científicas podem estar em oposição, o cristianismo e a ciência não o são.

http://worldview3.50webs.com/scientmethod.html

é verdade que várias culturas antigas - como os árabes (juntamente com a matemática da Índia), os egípcios e chineses - vieram mais cedo com níveis mais avançados de tecnologia prática, a matemática e a aprendizagem do que a Europa medieval fez, mas ainda assim, em função de suas visões do mundo, as culturas mais avançadas tecnicamente não surgiram com a "ciência moderna, como disciplina sistemática, de auto-correção" - Além disso, deve-se lembrar que os avanços tecnológicos diversos da cultura islâmica se desenvolveram dentro da cosmovisão do Alcorão, que foi escrito depois de Maomé ter se envolvido em longas discussões sobre a Bíblia com os judeus e os cristãos e assim ele desenvolveu sua teologia e visão do mundo, e assim, grande parte da cosmovisão bíblica foi fundamental para o Alcorão, o que beneficiou islâmicos.
O escritor científico Loren Eiseley (um atéu) afirma que o mais curioso sobre o método científico moderno e a filosofia, é que a humanidade surgiu com ele, porque não é "natural" para a humanidade. O culto da natureza é mais natural para as pessoas, assim como a superstição.

- Em contrapartida, porém, a ciência "exige algum tipo de fundamento sólido, no qual pode florescer", diz Eiseley, e ele (com certa relutância) identifica que esta base, este fundamento foi "o mundo cristão, que finalmente deu à luz um claro e articulado meio para o método experimental da ciência em si "(século de Darwin, 61, p.62, grifo meu). Até durante a Idade Média e até o décimo oitavo século, a ciência moderna (e seu método) foi modelado e desenvolvido em grande parte por discussões sobre a natureza entre os cristãos crentes na Bíblia, tais como Buridan, Copérnico, Kepler, Paracelso, Galileu, Descartes, Newton, Boyle, Lineu e Cuvier. –

Johannes Kepler (1571-1630) – mechanica celestial, Astronomia
Blaise Pascal (1623-1662) - Hydrostatica, pressão de fluidos
Robert Boyle (1627-1691) – elementos quimicos, Volume e pressão de gás, método científico
Isaac Newton (1642-1727) - lei da gravidade & calculus sobre o movimento
John Woodward (1665-1728) - Paleontologia
Carl Linnaeus (1707-1778) - Classificação da biológica sistemática
Georges Cuvier (1769-1832) - Anatomia comparada, paleontologia de vertebrados
Michael Faraday (1791-1867) - eletromagnetismo
Louis Agassiz (1807-1873) – Geologia glacial
James Joule (1818-1889) – Térmodinâmica reversível
Gregor Mendel (1822-1884) - Genetica
Louis Pasteur (1822-1895) - Bacteriologia, doenças causadas por germes, a lei da biogenese
Lord Kelvin (1824-1907) - Termodinâmica
William Ramsay (1852-1916) – Quimica isotópica

Então, por que a ciência moderna só surgiu da visão do mundo judaico-cristã da Europa Ocidental? Pearcey e Thaxton explicam que a razão é porque somente a cosmovisão da Bíblia deu os pressupostos essenciais exigidos para a ciência moderna e seus métodos:

1. A natureza é real, não imaginária
A Bíblia fala da natureza e do universo como sendo real. Deus criou-os, e eles são entidades reais. - Este ponto pode parecer óbvio demais para ser mencionado, mas algumas visões do mundo consideram as coisas materiais ser irreal ou imaginário. Por exemplo, o pensamento oriental (especialmente o hinduísmo e o budismo) ensinam que qualquer objeto distinto (como uma rocha, uma pessoa ou um planeta) é uma ilusão (maya). Não é de admirar-se de que a ciência não cresceu baseado em este tipo de visão do mundo porque, obviamente, seria um desperdício absurdo de tempo de estudar e analisar uma ilusão.
No entanto, desde a visão bíblica vê as coisas da natureza como realidade, eles são, portanto, possíveis objetos de estudo e compreensão.

Livre Iniciativa e Ética do Trabalho
direitos de propriedade privada podem ser rastreados até os Dez Mandamentos em Êxodo 20:15, 17 (Não furtarás, "Não cobiçarás .")-- bem como outras passagens do Antigo e Novo Testamentos. Curiosamente, há mais de 700 referências ao dinheiro na Bíblia!
Vale ressaltar que a riqueza de Adam Smith das Nações foi escrito em 1776, mesmo ano que o nascimento da América. Mas muitos historiadores dão o crédito ao teólogo João Calvino que viveu 200 anos antes que a pessoa que é o maior responsável por reunir os princípios que sempre foram da Bíblia em um sistema adaptado pelos fundadores americanos. Por exemplo, as doutrinas bíblicas da auto-confiança e auto-negação são a base da famosa "ética protestante do trabalho". Essas doutrinas são o coração do nosso caminho (e político) da vida econômica.

Uma distinção pode ser feita entre o capitalismo e o capitalismo evolutivo e bíblico. A ênfase no capitalismo bíblico é sobre a importância da servidão - um ensino fundamental de Jesus. O Capitalismo Evolutiva, por outro lado se baseia exclusivamente, sobre a sobrevivência do mais apto.
Qualquer um que duvide da relação de idéias bíblicas à livre iniciativa só precisa observar o contraste com o comunismo. O comunismo é especificamente um sistema ateu que se baseia na noção não-bíblica de que todos os homens são bons (assim vai trabalhar para o bem comum). Mas o comunismo foi um fracasso abjeto econômicamente falando.

Como disse D'Spouza, "O sistema do capitalismo moderno surgiu no Ocidente. Para alguns, é surpreendente que o capitalismo se desenvolveu tão facilmente em conjunto com uma ética cristã. Mas o capitalismo satisfez a exigência cristã para uma instituição que canaliza o desejo egoísta humano para a melhoria da sociedade. Alguns críticos acusam o capitalismo de ser um sistema egoísta, mas o egoísmo não está no capitalismo, está na natureza humana .... Enquanto o lucro continua a ser o objetivo final, os empresários passam a maior parte de cada dia para descobrir como melhor atender as necessidades de seus clientes atuais e potenciais. Eles são operacionalmente, se não intencionalmente, altruístas .... Pode-se dizer que o capitalismo civiliza ganância em muito da mesma maneira que o casamento civiliza a luxúria. "

Arte, Música, Literatura
A influência de Jesus sobre a arte, música e literatura, é enorme. Por exemplo, a fé cristã tem influenciado a literatura, de escritores cristãos, como Dante, Chaucer, Donne, Dostoiévski, Shakespeare, Dickens, Milton, etc.

Se Jesus nunca tivesse nascido, a música provavelmente soaria muito diferente do que estamos acostumados. Não poderia nunca ter desenvolvido a cantata, o concerto, ou a sinfonia. Handel, Vivaldi e Bach eram cristãos que trabalharam para honrar a Deus com o seu trabalho. Bach, por exemplo, assinou todas as suas obras com Soli Deo Gloria ("unicamente para a glória de Deus").

A Arte também tem sido magnificamente impactada por Jesus. Enquanto a arte moderna muito parece rebaixar o espírito humano, a arte cristã clássica tenta trazer o melhor da humanidade - apontando para um plano superior. Esta é certamente uma homenagem a Jesus.
E pensar em toda a arquitetura incrível ao longo dos anos. Destacam-se as belas catedrais da Europa.

Ver perfil do usuário

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum